30 de abr de 2008

DEVANEIOS - E assim tudo começou - DÉCIMO QUARTO DIA



- Acordei cedo - ainda estava com sono, todavia não conseguia mais dormir. Depois do café matinal saímos para realizar uma volta rápida. Voltamos. Almoçamos. Depois do almoço deitei um pouco para descansar. Por volta das cinco horas saímos novamente para comprarmos guloseimas para o lanche da noite.

Aí meu telefone tocou. Atendi. Era meu amado. Perguntou se estava tudo bem.
Convidou-me para lancharmos juntos à noite. Perguntou ainda se depois eu queria ir para o apto dele. Derreti-me toda.

- Claro, principalmente se for para lhe explorar todinho - respondi.

Por isso dizem que o amor é cego. A pessoa quando está envolvida num romance não consegue enxergar um palmo diante do nariz. Considero que o amor além de cego, ele também é burro - emburrece as pessoas fazendo-as não raciocinarem.

Por volta das oito horas da noite ele chegou. Fomos à pizzaria. Comemos lasanha de bacalhau, estava gostosa, porém com muito sal. Tomamos refrigerante.Perguntou se eu não queria trocar o show da cantora que gostaria de ir, para acompanhá-lo num evento de motociclistas que ocorreria no mesmo período. Fiquei de pensar e lhe dar a resposta.Saímos.

Chegamos ao seu apto. Sempre muito gentil me faz ficar bem à vontade. Mostra-me folders dos eventos de motos que ocorrerão durante todo o ano. Empolga-me tanto que convence e, acabo aceitando a troca do convite.
Ficamos algum tempo planejando a viagem. Combinamos que iríamos de carro e que ficaríamos em barraca. Seria uma aventura e tanto.

Amamos-nos e como sempre foi maravilhoso. Pela primeira vez ele se realizou com vontade, sem ficar prolongando nosso sexo por muito tempo. Claro que sempre tem o cuidado de me satisfazer primeiro.
Achei ótimo porque depois ficamos só namorando. Beijando-nos,trocando juras de amor, com bastante carinho e ternura.

Perguntei-lhe: Oi amor - já falei hoje que gosto muito de você?

Ele sorriu. Feliz com minha bobagem de ficar dizendo que gosto dele; que adoro estar e ficar com ele (tolices femininas).

Falei que tinha comprado um maiô e perguntei-lhe quando me levaria à praia.
Respondeu que iríamos no dia seguinte. Puxa - ele decide tudo com muita rapidez, o que me agrada. E assim ficou combinado.

Falou-me do receio que tinha se nosso relacionamento fosse descoberto e não fosse aprovado pela família.
Não entendi o comentário. Não estávamos fazendo nada escondido. Não quis polemizar. Naquele momento não valia à pena.

Depois ele colocou um som suave. Dormiu.
Como sempre não consegui dormir direito.
Ficamos abraçadinhos por um longo tempo sentindo o calor dos nossos corpos e a proteção do nosso abraço.
Depois me virei para ver se conseguia dormir e nada. Só cochilos.

Tenho que me acostumar a dormir acompanhada. (sonmarry)
**************
*********************

Nenhum comentário: