28 de abr de 2008

DEVANEIOS - E assim tudo começou - DÉCIMO PRIMEIRO, SEGUNDO E TERCEIRO DIA



- Estava no andar superior da residência, conversando com minha amiga, quando ele apareceu e não o vi. Então telefonei, deixando na caixa postal um recado dizendo assim.: “oi tô só desejando bom dia. Bjs”.
À tarde sai para passear e ir numa lan house ver meus e-mails. Soube que ele me procurou; não estava em casa.
O restante do dia e à noite transcorreram sem novidades.

Na manhã seguinte, acordamos cedo. Por volta das dez horas telefonei-lhe. Atendeu e prometeu que passaria depois para me ver. Despediu-se enviando beijinhos por telefone.
Esperei. Perto do meio dia apareceu. Contou-me da reunião do aniversário do clube de moto que seria no mês de junho, do patrocínio, dos folders, que iria viajar à tarde, logo depois do almoço e outros assuntos banais. Despediu-se com um beijinho, prometendo que antes de viajar voltaria para me ver.
E apareceu realmente. Todo apressado, como sempre. Nem sentou. Só me deu um beijinho.
Perguntei se ele voltaria no domingo o que afirmou.
Perguntei-lhe se viria me ver o que respondeu afirmativamente, prometendo que viria direto.
Desejei-lhe boa viagem, que aproveitasse e que fosse com Deus.
Beijou-me novamente e saiu. Fiquei tristinha, não posso negar.
Acho que faz parte do ser humano.
Porém tenho que respeitar sua INDIVIDUALIDADE e PRIVACIDADE, conforme lhe prometi, porque quero que respeite a minha também.

Como adoro passear, mais uma vez sai com minha amiga. Comprei cuscuz branco e fui comer na praça - saboreando vagarosamente e observando as pessoas passarem, sem muita pressa, aproveitando o entardecer.
Depois compramos canjica de milho verde, pão, kibe, trouxinha de maçã e brioche para levarmos para casa. Pegamos a kombi e voltamos. Lanchamos.
Subi porque pretendo dormir mais tranquila, sem acordar tanto como aconteceu na noite passada.
A saída à tarde me fez muito bem. Relaxei não estando mais tão preocupada e receosa.
Afinal estamos só ficando..... nada sério por enquanto.

Meu desejo é estar ao seu lado toda hora e todo instante. Penso nele o tempo todo. Será que isto é amor? Sorrio sozinha e lembro de uma música que diz: “ me pego olhando prás estrelas, pensando em você, negão estou pensando que isto seja amor”.

O final de semana demorou muito a passar.

Planejei realizar uma mini viagem, todavia amanheceu chovendo muito forte. Ficamos em casa. Telefonei-lhe deixando recado na caixa postal. Retornou a ligação quando caminhava na beira da praia, pedindo que escutasse o barulho das ondas do mar. Fiquei tão feliz em escutar sua voz. Mais uma vez prometeu que ao voltar me veria.

Almoçamos. Por volta das três horas passei-lhe uma mensagem pelo celular. Coisa de gente tola, infantil, adolescente, insegura, sabe lá o quê.

À tarde, como a chuva parou, saímos para dar uma volta. Ao retornamos, lanchamos. Fiquei esperando. Nada.Por volta das nove horas da noite telefonou-me dizendo que não poderia aparecer. As explicações:
que tinha chego cedo; tinha descansado um pouco; que recebeu um telefone do presidente do clube de motociclistas para se encontraram para uma reunião. Perguntou se eu ficaria chateada. Disse que não. Desejamo-nos boa noite e desligou.

Claro que fiquei decepcionada no meu interior. Sou humana; tenho sentimentos; senti-me preterida e enganada porque o prometido não foi cumprido.
Aí penso, mais uma vez, que tenho que aceitar as pessoas como elas são, sem querer modificá-las.
Acreditei? Não.
O orgulho, entretanto, pediu para que a diplomacia fosse usada.
Foi o que fiz e mais uma vez dissimulei meus sentimentos.

Custei a pegar no sono, pensando. Dormi toda a noite o sono dos justos.(sonmarry)

**************
*******************************

Nenhum comentário: