24 de mai de 2008

DE REPENTE




De repente,
não mais que de repente,
vi-me assim:
atada,tesa, presa,e indefesa,
vítima do amor.
Em cárcere privado,coração algemado,
desejos descontrolados,
Sonhos viciados...
Destes um golpe certeiro,
fatal,definitivo.
Tens-me agora em cárcere,
totalmente entregue,
prostrada a teus pés,
mendigando,implorando,
conclamando tua clemência
e minutos de tua atenção;
um afago,um beijo,
e, teu olhar cheio de desejo!
Eis-me aqui,
uma vítima indefesa do amor,
algemada da alma ao coração!(Vanderli Medeiros)

Um comentário:

VIVER disse...

OI LINDA AMIGA
NÃO SABIA QUE TINHAS ESSE BLOG TÃO MARAVILHOSO
BEIJOS